Elefante da Torre homenageia artistas locais há 21 anos

por Clarisse Oliveira — publicado 31/01/2017 21h00, última modificação 03/07/2019 10h02
Colaboradores: Fotos Olenildo Nascimento
O bloco leva Frevo para cerca de mil e quinhentas pessoas a cada edição

Homenagear os artistas locais e levar alegria para a comunidade são as marcas do bloco Elefantes da Torre, que mobiliza cerca de mil e quinhentas pessoas a cada edição. Conforme explicou o presidente e fundador do bloco, Flauberto Santos, o nome da agremiação veio de um costume dos moradores do bairro de colocarem apelidos nas pessoas.

“O Elefante da Torre é uma homenagem ao morador Lindemberg Honorato da Silva, que gostava muito de carnaval e tinha o apelido de elefante. Lá na Torre é peculiar termos apelidos. Outra peculiaridade é a produção cultural do bairro, por isso homenageamos artistas plásticos, teatrais, circenses e todos os trabalhadores que produzem cultura direta ou indiretamente na Capital”, explicou Flauberto Santos. A preservação do ritmo frevo também é um ponto importante destacado pelo presidente do bloco.

[citacao] Temos que manter essa tradição e preservar essa cultura do frevo. Nós não dispomos de recursos, fazemos o que podemos, até com lata se for preciso, mas sempre com animação, porque a alegria está no seio da sociedade [/citacao]

Segundo Flauberto, o bloco se reúne em dois momentos: um almoço em um restaurante no bairro, por volta de meio dia, e a concentração às 17h30 no Posto Beira Rio. Este ano o bloco Elefante da Torre sai às 21h do dia 24 de fevereiro e terá como atração a Orquestra Tambaú de Frevo.

https://www.youtube.com/watch?v=5PwDaOyEMks