Vereadora critica falta de apoio da Funjope ao projeto Som do Beco

por Clarisse Oliveira — publicado 19/12/2016 21h00, última modificação 04/07/2019 17h47
Colaboradores: Fotos Olenildo Nascimento
Sandra Marrocos (PSD) denunciou que Fundação se comprometeu com cessão de palco, som e iluminação para apresentação cultural e não cumpriu

A vereadora Sandra Marrocos (PSB) criticou a Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope) por suposta promessa não cumprida do órgão. De acordo com a parlamentar, a Funjope se comprometeu em ceder um palco, iluminação e estrutura de som para a realização do projeto Som do Beco, festival de música que aconteceu no último sábado (17), no Beco Cultural, localizado na Rua Braz Floriano, no Centro.

“Mais uma vez falo do descaso, do desrespeito e do descompromisso da Gestão Municipal com a cultura de nossa cidade. A Funjope se comprometeu em colocar som, iluminação e um palco para o Festival do Beco. Mas, no dia, as apresentações aconteceram no chão e sem iluminação. O evento aconteceu, mas com muita resistência”, afirmou a vereadora, que foi a primeira a se pronunciar na sessão desta terça-feira (20), da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP).

Vereadora Sandra Marrocos (PSB) no plenário da CMJP[/caption]

A parlamentar lamentou o fato do órgão não poder ajudar em um aspecto tão básico e criticou o gestor da Funjope, Maurício Burity. “Gostaria de estar aqui hoje parabenizando a Funjope. Mas como se peca em uma coisa tão miúda, no feijão com arroz? Infelizmente Maurício Burity não tem competência para gerir a política cultural de João Pessoa”, enfatizou a vereadora.

Parlamentar sugere R$ 550 mil em emendas para a Cultura

Sandra Marrocos ainda discorreu sobre as emendas à Lei Orçamentária Anual (LOA), para o exercício financeiro de 2017, que apresentou na área da Cultura da Capital. De acordo com a parlamentar, R$ 250 mil serão destinados para o fomento do espaço do samba e R$ 300 mil para a reimplantação do Projeto Circuito das Praças, que abrange diversos estilos musicais.

“O fomento da Cultura tem grande importância no enfrentamento ao narcotráfico e ao crime organizado. Um espaço de convivência e convergência afasta situações que podem levar à privação de liberdade. Peço aos vereadores que acatem nossas emendas, elas não são exorbitantes”, solicitou Sandra Marrocos.